Publicado em Para meu filhote

6 meses!!

Você completou 6 meses no mesmo dia em que a mamãe voltou a trabalhar! Os dias que antecederam esse momento foram de muita apreensão, da sua mãe, claro. Afinal, passamos 6 meses grudados, dia e noite. Vamos ver como será daqui para frente.

Nesse mês que passou muitas novidades aconteceram. A introdução de alimentos foi uma doideira. Por um momento, mamãe achou que você nunca iria comer e que ficaria mamando para o resto da vida! Drama mode on. Aparentemente você gostava mais das papinhas salgadas do que das doces. Mas tinha que ser de carne, frango nem pensar (mas a sua primeira papinha salgada foi de frango com legumes. Comeu bem, até. Só passou a recusar no dia seguinte). Frutas? Só banana e muito pouco. Você chegou a chorar quando comeu mamão.

Num momento de “tudo ou nada” compramos aquelas papinhas prontas da Nestlé. Foi a salvação. Você passou a comer, mesmo que pouquinho. Na verdade, era enganado pela mamãe, que te dava um brinquedo e assim que você abria a boca, lá vinha a colher! rsrsrs  Compramos a de banana com aveia e você começou a abrir a boca por vontade própria. Hoje acho que você era novinho demais para começar a comer. Mas como era indicação médica, teve que ser assim. Talvez as papinhas industrializadas fossem mais molinhas ou mais gostosas, vai saber…

O suquinho de laranja até agora foi deixado de lado. Você tomou por três dias, em quantidades cada vez menores e depois recusou. O mesmo com a água, que bebe muito pouco. Mamãe tem a impressão de que você se sente enganado quando pega a mamadeira e percebe que não é leite!
Mas na consulta médica desse mês, você voltou ao normal na curva de peso. Sempre um pouco a baixo do percentil 50. Na altura, voltou à curva de média, agora está com cm. Pelo jeito, mesmo aos trancos e barrancos, a comida fez diferença.

Você começou a rolar. Com uma certa dificuldade, é verdade. Por enquanto, só rola quando está de barriga para baixo (colocado assim por alguém). E só para um lado! Já senta bem por algum tempinho, antes de tombar. Parece que ainda não percebeu que as mãos podem ajudar no equilíbrio. Fica extremamente alegre quando senta.
Seus brinquedos todos viraram chocalhos! Basta pegar um e é um tal de sacudir sem parar. Verdade que tudo para você é brinquedo. Os seus, o celular de qualquer pessoa, as chaves do carro, o controle remoto… fica lá, sacudindo e trocando ele de mãos, olhando tudo muito concentrado.

Nenhum cabelo está a salvo com você por perto. Gruda com vontade e puxa. Seja grande ou pequeno. Mamãe já avisa logo quando alguém te pega no colo. O mesmo vale para colares. Sua dindinha que o diga. Você arrebentou um lindão dela!

A Maricota continua sendo seu alvo principal. Ela passa e você a começa a gritar. A gente pergunta onde ela está e você olha para o chão. Quando ela bobeia (ou permite) você passa a mão, puxa a orelha, deita em cima. Tenho a impressão de que mais um pouquinho e vocês vão estar dormindo juntos!

Você fez sua primeira viagem de avião! E a primeira de ônibus também. Fomos devolver a casa que morávamos e nos despedir dos amigos e colegas de trabalho da mamãe. Foi um passeio tranquilo. No voo da ida, você deu uma reclamada durante a decolagem. Com certeza eram ouvidos. Aquele truque de mamar ou chupar chupeta não funcionou, afinal você não estava com fome e nem queria chupetar. Mas assim que o avião estabilizou você caiu num sono profundo, no colo do papai, só acordando no destino.

A viagem de ônibus foi um contratempo. Na volta, o aeroporto estava fechado por causa do mau tempo e acabaram nos levando de ônibus para outro, em outro Estado! A viagem de ônibus demorou mais que a de avião, mas preferimos assim a ficar com você, largados em um aeroporto, sem saber se íamos embarcar ou não. Você foi dormindo no bebê conforto, no escurinho do ônibus, em plena madrugada. O que, obviamente, deixou você ligadão dentro do avião. Distrair você por 1 hora, para não incomodar ninguém, foi dureza! Acabou que deixamos você lamber o braço das poltronas, o cartão de informações, o encosto de cabeça, o copo de refrigerante, a revista de bordo… haja vitamina S! A melhor parte foi quando tentou chamar à atenção de um homem que estava sentado do lado. Como ele não te olhava, apesar de você se jogar para trás no colo da mamãe, passou a forçar uma tosse, olhando fixamente para ele. Funcionou! Ele riu e você se deu por satisfeito.

Você pegou uma gripe terrível! Primeiro foi seu pai que ficou muito doente. Ele, que detesta médico, acabou precisando ir ao hospital. Mamãe teve uma noite de febre. Em seguida foi você. Tadinho! Chegou a ficar com os olhos inchados e vermelhos de tão dodói. Nariz entupido, muita meleca. Febrão e tudo. Pelo menos não teve secreção nos pulmões e tudo foi controlado com antitérmico e muito chamego. Passou pelo menos 3 dias dormindo no colo da mamãe.

Por falar em chamego, você ainda luta para dormir. Chora todas as vezes, brigando com a gente e com o sono. Não queremos nem imaginar o que os vizinhos devem pensar de nós! Quando finalmente se deixa dormir, vai para o berço. Mas acaba na nossa cama, todas as noites. Vamos ver se conseguimos tirar esse habito, seu e da mamãe, que morre de sono e prefere dividir o colchão com você do que ficar acordando diversas vezes na madrugada, quando finalmente iremos para nossa nova casa.

Tirando esse choro ante de dormir, você não é um bebê reclamão. Sorri para todos, “fala” muito, adora um colo… e se for um colo gordinho melhor ainda

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s